Camboja: Dicas, templos, histórias e valores


Então chegou a vez de visitarmos o Camboja, esse país simples, eficiente, e muito amigável.

Desde o início o país já me ganhou pela inovação e eficiência!

O quê? Mas o Camboja não é um país pobre, subdesenvolvido?

Acompanhe comigo e veja se ao final você ainda manterá a mesma visão.

Dicas:

Inovação: O Camboja, foi o primeiro país em que emiti o VISTO pela internet, sem necessidade de ir à embaixada! (Não, não é aquele carimbo de entrada para países que não precisam de visto, falo do visto mesmo, tipo o “Visto Americano”, só que para o Camboja).

Inclusive deixo aqui o link para o caso de você precisar.

https://www.evisa.gov.kh/Default.aspx

Soube de várias pessoas tiveram problemas para entrar no Camboja por vias terrestres. No meu caso não tive nenhum problema! Assim, a sugestão é: usar o visto da internet + entrada aérea.

Lembrando que não tive qualquer problema de fronteira ao chegar de avião, em Siem Reap. Talvez por ter sido de forma aérea, não sei. Apenas sei que dessa forma tive zero problemas!

Como não amar?

Os Cambojanos são a simpatia em pessoa! O tratamento na chegada do aeroporto não poderia ter sido melhor!

Após você vir de uma viagem bem cansativa de outros 5 países e encontrar alguém te esperando de TUC-TUC na porta do aeroporto com seu nome escrito numa placa para te ajudar a identifica-lo, sem qualquer custo adicional por isso! É ou não é a melhor coisa que existe?!

Por isso deixo registrado meus agradecimentos ao pessoal do Siem Reap pub Hostel.

A recepção não poderia ter sido melhor! Lá eu conheci uma moça chamada (cereja) Cherry. Ela era a responsável pelos passeios. Gostei muito dos passeios turísticos oferecidos, das opções apresentadas, tudo de forma clara e honesta.

Agendei o passeio do circuito menor. Nele você vai de tuc-tuc até a compra do ingresso, que só pode ser feita em um local, não há como providenciarem antes, pois a sua foto é tirada e impressa na hora e sai junto do ingresso!

Então a dica para evitar transtornos é sair mais cedo e chegar antes da formação das filas quando for comprar o ticket. Mantenha-o sempre com você, ainda que ele pareça todo acabado (por conta de calor + suor+ umidade + bolso + 3 dias = acabado) pois seguranças poderão pedir para você mostrar no percurso dos templos.

Recomendo que você tire uma foto do seu motorista e do tuc-tuc. em si, assim você não se perde dele e pode perguntar aos demais onde encontrá-lo.

Pois os templos são gigantescos e o normal é você ser deixado em um lugar de entrada e sair por outro lado bem longe e diferente. Por isso com a foto facilitará muito localizá-lo. (Há uma horda de tuc-tucs na saída).

Uma coisa que me chamou muita atenção por onde passei no Cambodja foi a hospitalidade e a honestidade. No Hostel onde me hospedei, não vi os mesmos golpes da Tailândia, tais como arredondamento de troco, ou duas tabelas de preço.

Aliás, por falar em dinheiro é bom frisar que no Cambodia predominam duas moedas: O Dólar Americano e o Riel. A economia já está tão dolarizada que você não precisa fazer câmbio de dólar para Riel. Inclusive os preços são mostrados em dólares americanos. O Riel é usado apenas para troco. (Quando fui a cotação era algo de 1,00 USD para 4.000,00 KHR).

Lugares para visitar:

Sobre a visitação nos templos:

Em Siem Reap há vários templos, e da mesma forma que recomendei na Tailândia deixo aqui os 3 templos que recomendo ir, eles são praticamente obrigatórios!

1º Angkor Wat, que é considerado a maior estrutura religiosa já construída no mundo! Ele foi construído no Século XII, e permanece até hoje. Há divergências quanto a sua extensão indo de 400 km² a 1.000 km² isso se deve ao fato de considerar os templos próximos ao principal como anexos ou não. É também considerado Patrimônio Mundial pela UNESCO. Ele é tão importante que aparece na bandeira Cambodiana.

CambojaAngkor

2º Bayon, (Buddha’s face, ou Faces do Buda) o interessante aqui é parar para pensar como no século XII eles conseguiram fazer esse origami de rochas normalmente com 4 faces cada conjunto. Estima-se que sejam umas 200 faces ao todo. Mas por questão de deterioração do tempo, (são mais de 900 anos) não é possível determinar quantas faces existem. Seria uma espécie de super LEGO antigo?! Teriam sido os Khmer gigantes que brincavam de erguer templos? Não sei, mas vale a visita de qualquer forma.

cambodiaBudasFace

3º Ta Prohm (também conhecido por “templo Tomb Raider”). Este é o meu favorito dentre eles!

Não é em qualquer lugar do mundo que você vê raízes nascendo no meio da parede, a selva crescendo em meio aos palácios tanto lutando por espaço quanto preservando ao mesmo tempo. O que teria motivado estas raízes a crescerem nas pedras? Como estas árvores surgiram? E as paredes como foram criadas? O surrealismo é bem grande aqui. É algo que te faz pensar: “Mas como isso é possível?”. Sim dá para duvidar dos próprios olhos. Além disso por que o Ta Prohm foi criado?

Há uma sinergia entre o templo e a floresta, como se a construção cedesse, mas não a ponto de sucumbir. E a floresta crescesse, mas não de forma a destruir. Um equilíbrio praticamente simbiótico. Hoje, (século XXI) há manutenção para tentar preservar, mas ela seria necessária?

De toda forma a atmosfera do lugar é fantástica, creio que ele foi encontrado tal como está hoje. Sendo meu predileto e se você só tivesse um dia no Cambodia, sugiro fortemente que vá para ele.

CambojaTaProhm

Por falar em tempo

Rômulo, é possível visitar os 3 templos em um único dia?!

A resposta é sim, é possível! Mas eu recomendaria fazer em pelo menos 2 ou 3 dias para este conjunto de templos. Assim você teria mais tempo em cada um, e se cansaria bem menos. Lembre, são estruturas gigantes e o fascínio e admiração podem tomar muito do seu tempo.

Valores: $

No Tuk-tuk do meu hostel para os templos, paguei 18 USD por dia. Lembrando que ele não é um guia local, se você desejar deve contratá-lo à parte. E o preço é variável.

Quanto ao ingresso para ter acesso ao local você tem que pagar (e manter o ticket com você, ainda que acabado, lembra?!)

As opções de ticket são.

  • 1-day pass – $20 USD
  • 3-day pass – $40 USD
  • 7-day pass – $60 USD

O ticket dá acesso ao complexo de templos, isso quer dizer que 1 ticket vale para os 3 templos citados e mais uns vinte e tantos outros.

No Cambodia outra coisa me chamou a atenção. Eles não costumam usar cadeados nas bicicletas. O que foi um “mind blow”! pessoas simples e honestas, eu fiquei morrendo de medo quando aluguei uma e o cara me disse que não era preciso cadeado… eu sempre procurava coloca-la onde eu pudesse ver pela janela… o valor do aluguel? 1,00 USD! O dia.

E aí gostou do post? Não esquece de dizer o que achou, e se você souber como os templos foram criados, conta para a gente! Nos vemos no próximo post. 😉

AFRICA ASIA EUROPE NORTHAMERICA OCEANIA SOUTHAMERICA

Deixe aqui seu comentário