E sobre a Colômbia o que podemos contar?

E como foi nossa primeira viagem à Colômbia? Contamos para você com dicas, perseguições e história!

Fomos à Cartagena conferir um pouco sobre o país. Acompanhe com a gente.

O que encanta?

Ciudad Amurallada (Cidade Amuralhada ou Cidade Murada) e o centro histórico – recomendo fazer o reconhecimento a pé as ruas são estreitas, sendo que foi preservado o estilo colonial e as dimensões originais (do ano de 1600). A maioria das ruas tem mão única, o que dificulta o acesso por carros, sendo recomendado fazer o trajeto a pé mesmo. Esta será melhor maneira de se locomover por dentro dos muros e fazer o tour.

Torre del reloj (Torre do relógio) – erguida no século XIX, dá para ser vista de vários locais da cidade. Fica na parte interna da cidade amuralhada. Nela se localizam, um hotel a estátua de Pedro Heredia – que é o fundador/conquistador da cidade – e outros comércios locais. A torre era o único ponto de entrada para a cidade murada. As muralhas se estendiam por 11 quilômetros, e serviam para a proteção contra invasores. Hoje se mantém preservados 8 km. Na praça onde ela se encontra é possível achar muitos doces e guloseimas, no “portal de los dulches” que além disso tem frutas e artesanato, estes itens também estão presentes em quase toda a Cartagena. Falando de história, antigamente essa praça também foi usada como local de comércio de escravos durante a colonização espanhola. Esta é uma parte triste da história colombiana e com impactos na mentalidade de seu povo até hoje. Mais adiante contaremos um pouco do que percebemos durante a visita à Colômbia.

Voltando aos encantos, também é bom aproveitar as belas fachadas, coloridas e diferentes dos prédios no centro histórico. É uma surpresa a cada esquina! Isso torna o passeio a pé mais agradável. Uma boa coisa é que se mantém a limpeza do centro. Isso dá aquela sensação de túnel do tempo de volta ao período colonial. Se você quiser adquirir um artesanato, chapéu bijuterias etc recomendo comprar nas lojinhas ao invés dos ambulantes. Dentre os motivos destacamos: primeiro pelos preços serem mais justos, porque são tabelados e existe uma tabelinha com os valores próxima dos produtos;  e em segundo para ajudar a preservar o local com suas fachadas coloridas e o artesanato local.

Castelo de San Felipe de Barajás – É um dos pontos altos de Cartagena. Tombado como patrimônio da Humanidade em 1984 pela Unesco.

A Construção se iniciou no ano de 1657 e levou 123 anos para se chegar ao estado que temos hoje. Particularmente é um dos pontos turísticos mais importantes do local. É a maior construção espanhola feita em suas colônias. Não é um Castelo do estilo “residência para os nobres” é feito com a intenção de ser uma fortaleza e para defenderem a colônia de invasores. Sua localização estratégica possibilitava ver os inimigos por terra e mar e preparar uma resposta antes que chegassem a terra firme. (Lembrando que na época ainda não havia invasão aérea). Sendo assim ele era importantíssimo para as defesas do território. Cremos que era usado para interrogatório de invasores também. Há muitas passagens secretas e um labirinto dentro das muralhas. Se você for visitar, cuidado para não se perder hein?!

Recomendamos a visita à tarde. Motivo: o sol é escaldante e fica mais ameno por volta das 15:00.  Ao fim da visita ainda é possível aproveitar o belo por do sol da Cidade com uma vista privilegiada.

Muele de los Pegasos – é um monumento erguido no local onde ficava o antigo porto principal de Cartagena das índias. Lá se transportavam ouro, prata e escravos. A  propósito o nome Cartagena tem origem no nome da cidade Cartagena na Espanha.

A comida colombiana – Se tem uma coisa que você deve fazer na Colômbia é comer bem! As frutas são muito viçosa e saborosas, é preciso negociar o preço antes e

até mesmo durante a compra. Mesmo assim vale a pena sim provar algumas. Aliás, além das frutas,  o arroz com coco,  o peixe, e a salada deles são uma delícia! Também sugerimos experimentar as comidas típicas como: os patacones – que são uma espécie de banana frita e tostadas. Por fim, mas talvez o mais importante desta lista gastronômica, fica o CAFÉ!

O Café Colombiano está entre os melhores do mundo! E de fato tem um sabor e fragrância diferenciados. Então, se estiver na Colômbia, aproveite para prová-lo.

Como sugestão de restaurante deixo a Trattoria de Silvio. Ok, sei que massas são de origem italiana e fogem aos pratos típicos da Colômbia, Mas este restaurante vale a pena tanto pela comida que é boa e barata, quanto pelo clima do lugar.  Tanto o clima ambiente quanto da temperatura em si. Lembrando que em Cartagena mesmo a noite o calor é grande.

A música Colombiana – A cidade parece ter uma trilha sonora contínua. e o ritmo é bem dançante. Você certamente já ouviu falar da Shakira, Carlos Vives ou Maluma. (Não sabe quem é Maluma? Mas com quase certeza você conhece a música… (você partiu meu coração, mas meu amor não tem problema não…) Pois é, Maluma foi quem fez a versão em espanhol dela.

Pois bem, todos eles são Colombianos.

As praias – tem águas quentes e cristalinas mesmo as de Cartagena. Embora estas tenham uma aparência mais escura por conta da areia. Ela não é poluída e a temperatura é a mesma da famosa Playa Blanca ou de Islas del Rosário.

Vamos combinar que o visual não é ruim né?! (as fotos do por do sol acima são de Cartagena). Aliás, se você quiser evitar ambulantes e curtir a praia recomendo fortemente ficar em Cartagena. Sério, a diferença de la para a Playa Blanca é só a cor da areia. E vale a pena conhecer.

Islas del Rosário – para chegar nela, só de barco mesmo . É cerca de uma hora de viagem em uma lancha que pula muito. Se você é fã de montanha russa vai amar o passeio, mas se não for pode enjoar um pouquinho. A dica é não comer muito antes do passeio. Na parte da frente da lancha há maior sensação de queda, se você tem

espírito aventureiro, este é seu lugar. Já na parte de trás da lancha a sensação de queda é menor. Em compensação os respingos d’água são mais constantes. Assim, o meio da lancha acaba sendo um meio termo. Há sensação de queda, mas não tanta, e há respingos da água, mas não tão constante quanto na parte de trás. Que é mais intenso.

Durante o passeio de lancha há a opção de ficar em uma das praias, fazer snorkel, ir ao oceanário, ou mesmo até a Playa Blanca. Cabe a você escolher antes o que lhe agrada. Nós preferimos ficar na prainha mesmo em uma das ilhas do rosário; curtindo paz, descanso, peixes, água transparente e quente.

Playa Blanca (Praia Branca) – agora falando sobre a famosa Playa Blanca ela é bem bonita mesmo, areia branca, tonalidade da água azul clara. Mas é aqui que cabe relatar alguns problemas que o turista pode encontrar pelo caminho.

O que ninguém fala sobre playa Blanca é que o mar é muito agitado e há sim muitas pedras, ela não é só areia branca. Parte da causa deste agito se dá pela movimentação dos barcos e jet ski.

O mar acaba não sendo tão limpo pelo excesso de cabanas, que chegam a sujá-lo por conta da proximidade delas e da força das ondas que arrastam os galhos, troncos e pedras. É preciso cuidado redobrado para nadar nesta praia.

Mas isso não é nada se comparado ao segundo problema de Playa Blanca… infelizmente eu preciso falar disso para alertar você turista.

O problema é o excesso de ambulantes tentando extorquir o turista – Sério, esse tem que ser resolvido. Uma média de dois ambulantes por minuto não te deixa sequer aproveitar a praia. E eles são muito insistentes como se você tivesse a obrigação de contratar ou comprar alguma coisa. Não você não tem, a praia ainda é pública e para todos. A sensação que se tem é que o turista é visto como uma cédula de dinheiro ambulante. Ou um caixa eletrônico para ambulantes. =(

Dentre os golpes mais comuns aplicados contra o turista (principalmente em playa blanca, mas que se estende pela região de Cartagena) são:

1º e o mais comum: a falta de troco. Se um serviço ou produto custa 10 mil

pesos e você der uma nota de 50 mil pesos, a primeira coisa que se vai tentar é dizer “eu não tenho troco” especialmente em táxis, venda de artesanato, etc. Quase todos os ambulantes tentam fazer isso.

Por isso prefira as lojinhas, como disse, lá o preço é mais justo e não vão tentar fazer este tipo de coisa.

2º  forçar a barra para dizer que você contratou um serviço, ou comprou um artesanato que você não pediu e não quer! Por exemplo, em Playa Blanca, já no estacionamento fomos abordados por um cara que se apresentou como local e “Pôs os seus serviços à disposição”.

Como já sabíamos como é o modus operandi, ignoramos e aceleramos para outro estacionamento. Mas não é que o infeliz  veio correndo atrás do carro e nos abordou no outro estacionamento. E assim se começou uma perseguição. Ele continuou nos seguindo, não bastasse isso ele dizia aos demais ambulantes. “Eles estão comigo!”. Algo que soou como: “eles são as minhas vítimas”. Mas nós sequer tínhamos dado trela para ele. E a perseguição continuou. Quando paramos numa barraca de praia e fomos ver o cardápio. Ele pegou o da mesa (que tinha os preços) e trocou por um outro cardápio sem os valores. O que nos leva o terceiro tipo de golpe.

3º Vender coisas sem preço. – essa é uma maneira de se cobrar o que se quer do turista e não o que seja justo.

Claro que estávamos atentos então não pedimos nada ali, nos levantamos e saímos caminhando ainda em outro sentido até que ele desistiu de nos perseguir.

Então apareceu outro, que nos abordou novamente. Perseveramos sem pedir nada ali e conseguimos nos livrar do segundo.

Aqui finalizam os golpes, mas vale ressaltar que isso parece ser consequência da colonização espanhola. Como se eles tivessem ainda uma mentalidade de escravos. Ao invés de se desenvolver, esperam que alguém dê algo a eles. Preferem viver de golpes do que montar uma empresa e colocar os serviços à disposição. Permanece a escravidão mental, mesmo que a Colômbia já esteja livre e seja um lindo país, com um povo simpático. Mas ficou arraigada essa sequela em parte dos ambulantes. O que é triste. então se você quer ajudar, não dê esmolas, contrate serviços de pessoas que tem o seu negócio ou restaurante, que fabrica e vende seu artesanato em uma loja. Assim você ajuda quem quer vencer e desestimula esses golpes.

Ah, mais uma coisa que vale a pena ser mencionada, antes de finalizar esse post (tá gigante eu sei…)

O banho em Cartagena (e arredores) é gelado, ou como dizem… “com água natural”. Se você chegar lá de madrugada, prepare-se para um verdadeiro desafio de balde do gelo. Ok, estou exagerando, nem é tão gelado assim, mas em razão do clima quente realmente não tem chuveiro elétrico, a gás ou similares. A água do mar nos pareceu mais quente que a do chuveiro! =D

Por fim, vai uma conclusão. Os colombianos são um povo simpático, dançante e feliz. Mas ainda precisam aprender a tratar melhor os turistas.

Da mesma forma os turistas precisam LEMBRAR de levar consigo todo o seu próprio lixo. Como garrafinhas de água, copos plásticos, resto de comida, pratos, etc. Você turista tem o dever de manter a praia dos outros limpa! Olha lá hein! Não vai esquecer para trás lixo que você mesmo produziu! Rum!

Forte abraço e até o próximo post!

 

AFRICA ASIA EUROPE NORTHAMERICA OCEANIA SOUTHAMERICA

Um comentário em “E sobre a Colômbia o que podemos contar?

Deixe aqui seu comentário