Como é a sensação de ser milionário? (Vietnã)

Bom pessoal, em outro post falei sobre a guerra no Vietnã e as consequências dela para o país e o mundo, já que outros países de outros continentes também foram envolvidos / causadores da guerra. (Este post você confere aqui) .

No post anterior falei também sobre como você poderia guardar dinheiro para fazer “aquela” viagem. (link aqui). Neste post vamos aliar as duas coisas. Falaremos sobre a sensação de ser um milionário e o porquê do dinheiro não ser tudo nesta vida. E sobre nossa aventura pelo Vietnã. Desta vez vamos além das guerras. Vamos falar como Milionário.

Natália Arcuri e Gustavo Cerbasi que me desculpem, mas achei uma maneira mais fácil de conseguir o meu primeiro milhão bem antes do que eles poderiam imaginar! 😎

A sensação de ser um milionário, esta é a sensação quando você troca moeda na casa de câmbio pelos Dongs (VND) no Vietnã. Troquei apenas alguns dólares de Singapura e a atendente me deu 4 milhões de Dongs. Uau! R$ 4.000.000,00 !! Nunca havia visto tantos zeros juntos na minha vida.

E para você que quer um destino que não precise  falar inglês este é o lugar ideal. Mas também é um lugar em que as definições de perrengue, dificuldades, tretas foram atualizadas. Vou falar sobre os problemas e soluções encontradas ao longo do caminho.

1- Barreira da linguagem

Durante minha estadia no Vietnã só encontrei 3 pessoas que falavam inglês. 2 delas no aeroporto. e 1 na pizzaria. Eu me senti como um surdo-mudo. Não podia falar com eles, e também eu não conseguia entender o que diziam. E vice-versa.

As soluções foram:

Para chegar ao hotel mostrar a foto da fachada e o endereço impresso! Ainda bem que havia levado comigo.

Gesticular, gesticular e gesticular, como se fosse um jogo de mímica. Para comer, para pedir direção, para passar a roupa. Quase tudo era com base na mímica.

Além disso aproveitei o Google tradutor nos lugares em que achei wi-fi. funcionou para coisas básicas. Aliás a melhor tradução é para o inglês, se você colocar para o português ele não funcionará corretamente. Mas do Vietnamita para o inglês funcionou razoavelmente bem.

A propósito o passaporte fica retido na recepção do hotel. E esta parece ser uma prática comum nos países socialistas. Não sei bem o porquê, mas no Vietnã, na Bielorrússia, na Rússia dentre outros países, eles retém o passaporte do turista durante a estadia no hotel. A verdade é que cada país tem soberania sobre o seu modo de agir. Por isso é importante ter uma cópia para circular pela cidade no caso em que for pedido. Como eu estava na República Socialista do Vietnã era de se esperar que retivessem o passaporte também.

2- Carregador queimado.

Como contornar a situação de ter um carregador queimado, em um lugar onde não se sabe como chegar de forma fácil a uma loja de tecnologia, ou ainda pedir um novo carregador com as características semelhantes ao seu?

A solução foi usar a entrada USB da televisão do hotel, felizmente celulares e aparelhos de tecnologia tem esta entrada universal. (Universal Serial Bus) que tem a mesma voltagem do carregador sem risco de queimar o celular. Aproximadamente 5 volts. 👌

3- Lavanderia

Como algumas pessoas já sabem eu costumo viajar somente com a bagagem de mão. E havia pulado a lavanderia em Singapura, por saber que lá era mais caro do que no Vietnã. Por isso estava sem roupas limpas e tinha mesmo que lavar a roupa. Mas como conseguir pedir isso em uma língua que não sei?

A solução foi o Google Tradutor e a boa vontade do pessoal da recepção. Eles eram bem prestativos e entenderam o que eu pedia. Ele se dispôs a levar e trazer as roupas, que vieram lavadas e passadas.

4- Achar um endereço

Bom, como ainda estava atrás de um carregador de celular pensei: Por que não ir a um shopping center? De quebra ainda poderia ser um lugar refrigerado! Então eu perguntei ao recepcionista do hotel quais as direções e se ele poderia anotar o nome do lugar no papel. Afinal eu não sei ler nem escrever em Vietnamita. Ele anotou e eu segui na direção. Acontece que durante o caminho ninguém pareceu saber ler a letra dele. Assim, voltei a fazer mímicas e consegui chegar ao destino. Eu sabia que brincar de imagem e ação serviria para alguma coisa nessa vida!

5- Atravessar a rua.

Eu achava que o trânsito de Lima, São Paulo, Pedreiras era caótico o suficiente. Mas nada se compara ao de Saigon. são centenas de milhares de motos, carros, pedestres vindo em qualquer direção, na mão e contramão ao mesmo tempo. Sério, não sei como eles conseguem. Demorou para eu me acostumar, mas é “fácil” cruzar a rua. basta seguir em frente que eles desviam de você automaticamente. Basta que você não pare, vai em frente, “segue o fluxo”. E em 4 dias não vi nenhum acidente de trânsito apesar do caos.

6- Comida.

Finalmente achei alguém que sabia falar inglês! Foi em uma pizzaria. Ela se chamava Mya. Ela traduziu o cardápio para mim, assim ficou mais fácil de fazer o pedido sem ser escolhendo pela figurinha. Sim, nas vezes anteriores eu apenas apontava a figura do menu e pedia. E quando não tinha figuras era um jogo da adivinhação. Imagina, você pede algo para comer sem saber o que é. Não deixa de ter a sua emoção. E a expectativa sobre o que será servido ?!

Bom, desta vez estava “fácil” pedi uma pizza de frango com o refrigerante “Mirinda” que foi bem popular no Brasil. Pensei: ah, pelo menos o frango deve ser frango mesmo!

Já que antes havia tido alguns problemas com as carnes. Eu imagino que eram de qualquer tipo de animal, cachorro, gato, ovelha, etc; menos bovina, suína ou de peixe. Assim imagino que devo ter comido o primeiro e autêntico “cachorro-quente” se é que me entende. Ou algum “churrasquinho de gato”. Bom, desta vez não teria erro era frango! Tive até uma intérprete. E quando a pizza chegou… surpresa!

Trouxeram hashi como talheres para eu usar para comer uma pizza (oi ?!). Pedi garfo e faca, mas ela me explicou que só haviam os da cozinha mesmo. Então o jeito foi se virar com o hashi. Outro detalhe: A pizza veio em um tom meio esverdeado. Então chamei a Mya novamente para confirmar se aquilo era frango mesmo, ou o que tinha causado este tom verde. Ela me disse que com toda a certeza era de frango sim, mas eram os miúdos do frango. Nessas horas o melhor tempero é a fome.

Aqui eu finalizo com uma reflexão… de que adianta ser milionário se você depende dos outros para tudo na vida?

Bom, termino por aqui as aventuras pelo Vietnã, e graças a Deus pela culinária internacional. no final deste post tem um videozinho sobre esta aventura. está em português com legendas em inglês.

Para mais posts como este aqui, é só clicar no nosso mapa aí embaixo.

Até a próxima. 👍 👇 🖐

AFRICA ASIA EUROPE NORTHAMERICA OCEANIA SOUTHAMERICA

 

 

 

 

 

Deixe aqui seu comentário