A Bielorrússia por uma cidadã bielorrussa

Olá pessoal, então hoje vamos falar um pouco sobre a Bielorrússia. Para fazer isso, nada melhor do que entrevistar uma cidadã bielorrussa. E foi pensando nisso que fiz esta entrevista com minha querida amiga Kate. Nós nos conhecemos quando eu fiz a primeira viagem para lá. Estava visitando Minsk e ela era a guia local de uma excursão e realmente nos ajudou muito a nos mover dentro da cidade, pegando os ônibus certos e saltando nas paradas corretas, mostrando alguns lugares, e até mesmo respondendo perguntas sobre várias coisas da Bielorrússia. Nós começamos nossa amizade lá que continua firme até hoje. Inclusive ela me mandou um lindo pin, com a bandeira da Bielorrússia, que é o mais recente da coleção, mas provavelmente é o mais velho de idade, já que ele provavelmente tem mais de 30 anos, mas foi recém adicionado à coleção então é o mais velho e mais novo ao mesmo tempo. 😄 Claro que eu também retribuí a gentileza enviando um presente para ela aqui do Brasil e é assim que estamos mantendo os correios empregados e com muito trabalho. LOL (Rindo alto) 😂. Então, podemos começar? 

Como de costume neste blog as cores das falas nos textos serão alteradas. Kat será a vermelha e eu serei o verde. Vamos começar.

a. Kate, onde você nasceu? e onde você mora hoje?

– Eu nasci em Mogilev (uma das seis regiões da Bielorrússia, a 180 km da capital – Minsk). Mas depois me transferi para Minsk para estudar na universidade linguística federal de Minsk, então permaneci lá para trabalhar (como só na capital você tem a possibilidade de ganhar dinheiro para sobreviver… ) agora eu me casei com um rapaz de Grodno (uma das seis maiores cidades da Bielorrússia que são: Brest, Vitebsk, Gomel, Grodno, Mogilev e Minsk). Meu marido também foi transferido de sua cidade para a capital para estudos e depois permaneceu para o worwak. Agora vivemos em uma casa na região de Minsk, a 40 km de lá. E acho que essa é a melhor opção que pudemos escolher!

Enquanto isso, pelo passaporte, não sou mais Katsia…, mas Katherine. =) 

b. Qual é o seu trabalho atual?

– Como você sabe, antes eu trabalhei em uma agência de turismo no departamento de recepção e assumi a responsabilidade sobre os estrangeiros que vinham para Minsk para explorar esta cidade e a Bielorrússia em geral. Eu trabalhei lá por 4 anos e agora trabalho para uma empresa austríaca, sendo sua representante e não tendo necessidade de ir ao escritório todos os dias. Isso por 300 $ por mês. Eu posso trabalhar em casa e minha demanda de serviços  e vendas são maiores, mas isso não é uma regra – é uma exceção. Tive muita sorte que esta empresa me encontrou e queria que eu trabalhasse para que as coisas mudassem. 

c- Do que você mais gosta na Bielorrússia?

– Eu gosto da Bielorrússia porque é um país bonito e tranquilo. E estamos no meio da Europa, como é dito em todos os livros sobre a Bielorrússia e é bem verdade – estamos rodeados pela Polônia, Lituânia, Rússia, Ucrânia e por exemplo – para mim – Vilnius (capital da Lituânia) está mais perto do que minha cidade natal e eu vou lá toda semana. Seja à trabalho ou não, e isso faz com que eu me sinta parte da Europa. (Certamente, depois de todas as verificações na fronteira, o que não é muito divertido). 

d- O que você mudaria, se pudesse?

– Neste país, é proibido responder a essas perguntas. (Se você sabe o que quero dizer). 

e- Bom, e sobre política? Para a Bielorrússia foi melhor se tornar independente da União Soviética? Como é a democracia?

– Então, de acordo com todos os nomes e história, somos independentes. A República da Bielorrússia desde 1994 (e desde então temos um e único presidente), mas praticamente estamos em forte conexão com a Rússia, nós lhes devemos muito dinheiro (certamente, que nós = nosso presidente) e sim, nós somos um país democrático até que não digamos nada do que o nosso presidente não gostaria de ouvir… eu diria que é mais uma monarquia!  😜

Na verdade, na constituição, tínhamos uma linha onde foi mencionado que um presidente não poderia ser eleito mais do que uma certa quantidade de vezes. Mas o nosso presidente acabou de excluir esta linha e permaneceu como o único! Talvez esta seja uma resposta sobre a nossa democracia.

– É… não posso reclamar do Brasil… 

f- Mas você acha que a independência melhorou a vida dos cidadãos?

– Os cidadãos não sentem essa independência, infelizmente, e muito poucos que moram em uma capital podem se permitir ir a algum lugar – para viver um pouco melhor. Mas, de acordo com o resto das cidades, a situação não é tão boa, as pessoas são pobres, bebem muito, nunca foram a outro país e não podem sequer pagar o visto para ir para a Lituânia, que é muito próxima.

g- A língua bielorrussa é semelhante à russa? Ou quem sabe falar em russo pode não ser capaz de falar na língua da Bielorrússia?

– Nós temos dois idiomas nacionais – russo e bielorrusso. Mas mais pessoas falam russo, muitas pessoas não conhecem bielorrusso (nem eu, por exemplo). 😆 

Significa que você pode entender bielorrusso, mas não é capaz de falar fluentemente e sem erros. É semelhante ao russo, mas diferente por pronúncia e algumas palavras são completamente diferentes. Na escola todos os livros são escritos em russo e bielorrusso é como segunda língua e a partir do quarto ano começamos a aprender a língua e a literatura bielorrussa. Seguramente, que depois disto não muitas pessoas o escolherão como a língua principal, até porquê antes tudo estava em russo.Mas nós temos algumas escolas com a língua bielorrussa completa – lá até matemática ou física é ensinada em bielorrusso. Mas isso é mais exceção que a regra. 

h- O que você recomendaria para um turista fazer ou visitar na Bielorrússia?

– Isso depende do tempo que ele / ela possui, e da cidade que quer ir. Mas a primeira coisa é certamente vir para a Bielorrússia e não acreditar em tudo o que os funcionários de empresas de turismo falarem para você ou no que encontrar pela internet, ou ler notícias locais, pois a única verdade será aquela que você vê com seus próprios olhos.

– Uau, gostei! (A única verdade será aquela que você vê com seus próprios olhos, de Katherine).

– É melhor vir de vez em quando para ter tempo de visitar museus diferentes, dar um passeio pela cidade e talvez viajar para outro lugar da cidade. Também é melhor se você tem um amigo que pode mostrar-lhe algo ou uma guia, mesmo com alguns guias escritos, não é o mesmo. Não tenha medo da Bielorrússia – somos muito hospitaleiros e agora temos um regime de isenção de vistos para uma estadia de até 30 dias (que só funciona se você chegar e partir pelo aeroporto de Minsk). 

i- Quer adicionar mais alguma coisa? Uma pequena mensagem para quem lê este blog?

– Viaje e faça amigos em todos os países para onde vai! Talvez vocês se vejam apenas uma vez, mas boas lembranças estarão sempre com você!

– Concordo totalmente!

Bom, chegamos aqui ao final de mais uma entrevista, aliás, antes de terminar queria deixar meu pedido pessoal para a empresa que contratou a Kat, vocês poderiam dar um aumento para ela! Além de ótima guia, saber muito sobre o país e ser muito simpática, agora ela dá entrevistas internacionais!! Para o outro lado do oceano, em um blog brasileiro sobre turismo! Acho que vou iniciar uma campanha: #raiseKatSalary 

😄 😀 – Foi um prazer, muitas felicidades! Obrigado pela entrevista.

– Kate Foi um prazer conversar contigo novamente, desejo o melhor para vocês (você e seu marido) e que esta nova caminhada seja repleta de felicidades. Agradeço o tempo, a sinceridade e o humor nesta entrevista! E se vierem à Brasília já sabem né?!

большое спасибо /  вялікі дзякуй (com uma ajuda do Google !) 

Agora é com você leitor, se você gostou desta entrevista, curte aí embaixo, compartilha com seus amigos, e acompanhe nossas redes sociais.

Para mais conteúdo sobre viagens e entrevistas, clique no nosso mapa-múndi abaixo. 😎

AFRICA ASIA EUROPE NORTHAMERICA OCEANIA SOUTHAMERICA

E um vídeo de quando recebi o Pin.

Deixe aqui seu comentário