Tram

Em nossa primeira viagem para Tallin, a capital da Estônia, ao chegar no aeroporto internacional fomos surpreendidos por um aeroporto fora do comum. Na verdade o que parecia é que ele havia sido projetado para ser um dos aeroportos mais descolados e agradáveis de se estar. Confesso que durante minhas andanças poucos aeroportos parecem ser projetados para pessoas. Onde se tem uma área de convívio que permita a interação entre pessoas. E que realmente te estimule a parar a correria e aproveitar a estrutura do lugar. Então deixo aqui meus parabéns para as pessoas que projetaram e construíram um dos aeroportos mais legais para se estar, o aeroporto de Tallin na Estônia. Tallinna Lennujaam (TLL)

E por que o aeroporto é tão legal?

Porque no aeroporto você tem espaço para descansar. (Ok todo aeroporto tem uma cadeira ou outra). Mas neste nós falamos também de ter os itens:

– Um piano para quem tiver passando e quiser tocar.

– Um espaço para experimentar a realidade virtual. Onde você pode ver algumas coisas da Estônia. Dizem até que é “um o comum de um Estoniano” Como um rally, ou subir uma montanha em um cavalo. Muito bem feito.

– Uma mesa de pingue pongue com raquetes e bolinhas boas.

E por fim, além de tudo isso ainda tem um cartaz te convidando para ser cidadão Estoniano. E se você sabe inglês eles prometem deixar o processo o mais fácil possível.

Apesar de amar ser brasileiro eu fiquei realmente tentado a fazer uma cidadania estoniana. E isso só pela recepção no aeroporto.

 

 

Bom, agora vamos ao que realmente importa. E como é o transporte público em Tallin?

Ao sairmos do aeroporto e entrarmos no tram (Uma espécie de trem movido a energia elétrica) estávamos procurando um lugar para comprar os tickets. Infelizmente a placa informativa estava apenas em Estoniano, e o celular sem sinal. Então pensei: Talvez a gente paga dentro do trem.

Mas foi aí que um rapaz nos abordou e começou a falar que o transporte era gratuito, que ele mesmo, antes de obter o cartão de cidadão, havia usado gratuitamente o transporte público e estava tudo bem. Que se a gente quisesse economizar alguns trocados poderia usar gratuitamente.

É claro que eu desconfiei desta história. E estava decidido a descobrir como fazia para pagar a passagem. Então me dirigi até o maquinista e perguntei quanto era.

Ele se virou para mim como quem não sabia do que eu estava falando. Então apontei para um cartaz escrito em Estoniano que tinha um valor. 2 Euros. Ele me perguntou quantas passagens e eu sinalizei 2.

Ele me deu 2 tickets e voltei para o nosso lugar meio surpreso de como poderia o maquinista não saber o valor e nem do que se tratava o dinheiro?

E então comecei a raciocinar… No aeroporto eles nos recebem tão bem que parece estarmos em casa. O rapaz falou que não era preciso pagar a passagem… O motorista mostrou certo desconhecimento do que fazer com o dinheiro. Será que isso era verdade?

Será que a passagem de trem, ônibus seria gratuita?

Passagem

E de fato era verdade o que o rapaz falou! O transporte público é gratuito sim.

MAS, apenas para cidadãos de Tallinn. Então eu e qualquer turista temos sim de pagar a tarifa do transporte público. Assim como outros cidadãos estonianos de fora da capital, Tallinn. Mas majoritariamente são os cidadãos de Tallinn que usam o transporte público. Normalmente os turistas optam por taxis, serviços de busca do hotel ou Uber. Por isso o maquinista estranhou tanto quando eu fui comprar tickets de passagem. Ele simplesmente não está acostumado com isso!

Vale ressaltar que turistas devem sim comprar o seu ticket e pagar pela viagem. Os preços são variáveis, e caso você seja pego sem o ticket que custa de 1 a 2 euros. você pode sim ser multado em até 40 euros. O ticket normalmente vale por hora. Mas é possível comprar um ticket que vale mais tempo. Para mais informações acesse o site oficial abaixo:

https://www.tallinn.ee/eng/pilet/Ticket-information-for-tourists

Como pode um transporte público gratuito render receita para a prefeitura?

A grande questão é: E como foi que tornaram isso possível?

Em uma medida de inclusão social, para permitir que qualquer cidadão pudesse usar o transporte público gratuitamente, em especial aqueles que estavam procurando por um emprego e que se encontravam em uma situação financeira mais vulnerável, foi adotada esta medida de transporte gratuito na capital estoniana. A cidade serviu como laboratório de políticas públicas. Incrivelmente, apesar dos passageiros não pagarem a passagem, houve um aumento de 20 milhões na receita de Tallinn, por conta do aumento do uso no transporte público.

 

Não existe almoço gratis

Confesso que fiquei feliz ao descobrir isso. Mas e então como é que esse transporte público se sustenta? Como isso é viável, já que o principal aporte financeiro vem dos usuários?

A resposta está na forma como esta política pública foi feita. O Governo do Estado da Estônia repassa à prefeitura (governo local) uma verba destinada a políticas públicas. E este repasse é feito contando os habitantes por município.

No caso de Tallinn, houve um fenômeno em que os Estonianos correram para Tallinn a fim de fazerem a sua cidadania lá. Houve uma massiva mudança de endereços, um movimento migratório contínuo. O que acabou por gerar os 20 milhões de euros de receita a mais do que a área de transporte recebia antes de adotar essa política de transporte gratuito. O fato é que todos os cidadãos pagam impostos, mas nem todos usam o transporte público. Assim, como houve aumento populacional na capital e o município recebe verba indenizatória por habitante os impostos pagos acabam financiando este projeto. Além é claro dos visitantes que pagam suas passagens.

E por quê este projeto foi criado?

Além do primeiro motivo já citado, que era de inclusão social e permitir que todos os cidadãos pudessem se deslocar sem custo em Tallinn, houveram também outros efeitos causados por esta medida.

  • Redução de 8 % no uso de carros particulares.
  • O trânsito se tornou mais harmônico. Com motoristas mais pacientes em relação a travessias de pedestres.
  • Redução de acidentes, e redução da poluição do ar por monóxido de carbono.
  • Aprovação de 90% da população de Tallinn desta política.

Vale lembrar que Tallinn ainda não é uma cidade muito turística, então o sistema de transporte se mantém por si só. E não por conta dos turistas que pagam as passagens. E essa é uma experiência que poucas pessoas vivenciaram de ver como se comportam os cidadãos em um lugar em que para eles o transporte público é de graça. 

Quem sabe você não anima de colocar a Estônia no seu roteiro? Garanto que lá tem bem mais do que um bom sorvete.

Não esquece de seguir a gente no botão vermelho aí do lado! 😎 👉

Assim a gente continua trazendo para você este conteúdo gratuito também.

Vou ficando por aqui e até a próxima. 

AFRICA ASIA EUROPE NORTHAMERICA OCEANIA SOUTHAMERICA

Anúncios