Como podemos vencer a terceira guerra mundial? A resposta pode estar aí do seu lado.

Bom, com todo esse conflito entre EUA e Irã que já causou algumas mortes, e infelizmente podem vir a ocorrer mais mortes ainda… Fiquei pensativo e refletindo sobre como alguém poderia vencer de fato uma guerra mundial e reduzir as vítimas ao mínimo possível?

Como vencer uma terceira guerra mundial?

E pensando sobre isso cheguei a conclusão que a melhor forma de vencer uma guerra é com uma viagem entre pessoas que não se conhecem. Tive uma experiência intensa nesta última viagem para a África do Sul, que trarei para vocês neste post. Foi uma experiência enriquecedora. É engraçado quando você mistura um bocado de turistas, cada um de um país diferente em um minibus! Ou ainda melhor, cada um de um continente diferente! Sim, neste grupo posso dizer que tínhamos representantes dos 5 continentes. Europa, Ásia, América, Oceania, e África. E após um atraso de alguns poucos minutos o nosso guia já nos surpreende com a frase: “Aqui neste tour não temos essas coisas tais como: horário fixo”. Relaxa 😎. No início do tour foi aquele misto de empolgação e desconhecimento… o que será que aconteceria se você misturasse pessoas tão diversas em um mesmo lugar? Cada uma com seu costume, cultura, jeito de ser…

Bo-Kaap (significa “acima do Cabo”, em Zulu)

E essa diversidade já é encontrada em Bo-Kaap, o vilarejo mais antigo da península sul-africana, fica na encosta da Signal Hill é possível ver a diversidade se manifestando em forma de cores. Aqui antigamente haviam escravos e eles eram proibidos de pintar as suas casas. Apenas porque os antigos poderosos não queriam que eles tivessem nenhuma identidade, afinal, escravos “eram só escravos”. Mas, depois que conquistaram a liberdade e tomaram a identidade de cidadãos resolveram pintar as casas de cores bem diferentes e cada cor representa a liberdade de uma família. Então viva a liberdade de expressão! (O mesmo se aplica ao mundo inteiro) E mais interessante ainda é saber que quem começou essa “tradição local” foram os muçulmanos e depois os vizinhos aderiram. Ainda bem que aderiram o bairro ficou bem mais legal assim. Quando o coletivo age a liberdade vem e todos ganham. E é aqui que a interação entre os turistas começa a acontecer. Você pede ajuda em uma foto, ajuda em outra e logo o grupo está de volta ao miniônibus misturando a sua própria diversidade.
E como vocês perceberam no vídeo acima, felizmente as pessoas tinham uma ótima energia e logo fizemos novas amizades. E não apenas entre seres humanos, mas também com outros pequenos amigos. IMG_3919 Que estavam em grande quantidade. IMG_3957.JPG Muito grande quantidade. IMG_3924.JPG Se você observar bem a foto acima verá alguma semelhança com uma reunião de parlamento, todos com seus ternos e camisas brancas por dentro provavelmente discutindo a paz mundial, ou quando será a próxima refeição. Nunca saberemos! Mas nos lembramos da recomendação do nosso guia e interagimos mais com a nossa própria espécie. Era melhor deixá-los em paz em seu santuário e em sua reunião de parlamento. Após a decisão do que quer que tenham concordado entre si Alguns começaram a se distanciar. Talvez buscassem mais privacidade. Até porque um momento de carinho exige privacidade. Então deixamos os pinguins em seu território e seguimos viagem.

Cabo da Boa Esperança.

Enfim chegamos ao cabo da boa esperança, também chamado de “cabo das tormentas”. Lugar onde os navegadores passaram um perrengue danado por conta da força das marés e dos ventos. Para se ter uma ideia é um lugar que junta a força de dois oceanos o Índico e o Atlântico. Por isso não é por acaso que também é chamado de: “O cabo das Tormentas” apelido dado por Luis de Camões na obra “Os Lusíadas”. Onde os navegantes enganaram o monstro Adamastor para passarem do Oceano Atlântico para o Oceano Índico. Atualmente, os únicos “monstros” restantes são os babuínos. Estes macacos costumam roubar lanches de turistas. É preciso obedecer as sinalizações e não alimentar os animais. Agora também é preciso não demonstrar medo, se você demonstrar ele pode correr atrás de você. E claro que nosso grupo de amigos além de não demonstrar medo ainda fizeram amizade com eles. Começa então a cruzada para atravessar o cabo das tormentas! Aqui mais uma vez precisaríamos da força da amizade e um bocado de caminhada para atravessar o cabo da boa esperança. Temos uma trilha de apenas 1.5 km, mas devido as pausas obrigatórias para apreciar a paisagem, aos ventos fortes, e a trilha irregular, a travessia pode durar bastante. IMG_3822 Aqui toda ajuda é bem vinda! É um belo desfiladeiro com uma paisagem incrível. IMG_20191220_124213234_HDR.jpg Nesta foto (e em muitas outras) tive a ajuda de uma das pessoas mais amáveis do nosso Tour. Conheçam a Noreen. Ela é alguém que mistura gentileza, amabilidade e educação da melhor forma possível. Com seus bons e fortes princípios ela facilmente poderia ser a Rainha da Inglaterra! IMG_4064 Noreen nos ensina que se tropeçar, basta levantar um tombo não vai te deter. Especialmente se você tiver um amigo para ajudar em alguma coisa. Também nos ensina que devemos compartilhar as conquistas, os celulares com bateria, os antissépticos  e até mesmo um Uber! IMG_3906 Para os que preferem praia, e não ligam se a correnteza está forte temos um atalho, descoberto e avisado pelo nosso amigo. Selçuk. IMG_3842.JPG Selçuk também é um ótimo fotógrafo e gosta de apreciar um penhasco. IMG_20191220_180920662_BURST000_COVER_TOP E então conheçam nossa jovem representante da Oceania, Sarah. Ela não teme ao mar e nos mostra que um pouco de quietude e introspecção não fazem mal. Aliás, é uma boa coisa a se fazer neste lugar deslumbrante. E também nos ensinou que sempre devemos estar prontos para pegar um Uber, mesmo em um lugar que é literalmente no fim da África! Já que estamos apresentando nossa tripulação… conheçam também Jeremy e Hannah. Eles nos mostraram um lado mais aventureiro e não tinham medo de explorar novos horizontes. E também mostraram a importância de que a amizade prevalece por onde quer que andarem. Conheçam também o Majeed, ele nos ensinou que ter um pouco de paciência é essencial para mantermos uma boa viagem. 😄 E nos prova que apesar do jeito único de ser é possível ter um bom coração e ajudar os outros também. O mundo não é regido pelo dinheiro e sim pelas pessoas que o compõem. Se as pessoas forem boas, o mundo será bom. Se as pessoas não forem boas… podemos ter uma terceira guerra mundial. Por favor sejam bons! Temos também a Fem, ela é ótima em encontrar os melhores lugares para se fotografar. Além disso mostra um grande coração ao compartilhar conosco seus vídeos e novos lugares para ir. Fem também não tem medo de altura e nos mostra que uma boa amizade é aquela que se arrisca pelos demais! E graças a ela temos imagens do casal mais experiente do nosso Tour Betty e Andre. Se tem um casal que eu admiro são vocês! Nos mostraram que o verdadeiro amor nem mesmo o tempo ou a adversidade pode apagar. E que se trabalhamos, temos que trabalhar naquilo que gostamos, e então não mais precisaremos trabalhar. A vida é feita de escolhas, algumas difíceis, mas que a decisão de um, tem que ser apoiada pelo outro. Também mostram que uma idade maior só representa uma soma de mais experiência adquirida (+70 anos). E isso não é desculpa para não viajar. Também estão em forma, terminaram a trilha primeiro que nós! Casal que viaja unido, permanece unido! Casal1.JPG Ah, e como poderia esquecer de nosso guia! Ele tem poderes mágicos! Ele consegue fazer o tempo parar e avançar a seu bel prazer. 😎. (É por isso que neste Tour não temos essas coisas como hora marcada!) Seu nome é Pedro, mas cá para nós… eu tenho suspeitas que era só um apelido. Ele deveria se chamar Chronos! (O Deus do tempo). Ele carrega dentro de si o verdadeiro espírito Sul Africano. Foi muito legal este tour com ele. Desde suas histórias, o almoço no seu “escritório”, e praticamos também o compartilhar do pão. Apesar de controlar o tempo, Pedro não conseguia controlar as suas crianças (nós) e de repente ele se via com sorte e perdido! (Lucky & Lost). Veja aí na foto acima a cara dele procurando a gente! E para celebrar essa união de continentes, essa pangeia de nações, só terminando com um brinde especial com vocês. E nada melhor que uma degustação de vinhos! Outra vez com imagens da Fem.
E antes de terminar de fato, preciso falar também do brasileiro que era o representante sul-americano. Sim, este que aprendeu muito com todos. E como ficaria difícil falar do que eu possa ter ensinado. posso falar do que aprendi. O Rômulo é brasileiro e não desiste nunca. Embora passe bem perto disso. Aprendi que a alegria é algo que vem de dentro. IMG_3907 Também aprendi que para se atravessar o cabo das tormentas é necessário a amizade verdadeira. Esteja onde estiver, mesmo as do Brasil, ou as amizades feitas durante a viagem. Que mesmo se você estiver no fim do mundo são os amigos que vão até lá para te ajudar. Me and Noreen Assim, que dentro de nós existe luz e sombras cabe a nós decidirmos o que sairá e fará parte do mundo. IMG_20191218_190159436 E também aprendi que uma boa piada, é sempre uma boa forma de liberar o seu lado sombrio. Ah se é… Especialmente após uma degustação de vinhos! E que para se vencer uma guerra é necessário a mesma coisa que se tem para deixar uma viagem incrível. É preciso ouvir as diversas opiniões, e se possível unir todas elas no caminho. É preciso ceder, para ganhar. É preciso ajudar para ser ajudado. E que a vitória de qualquer um de nós é de todos a conquista! A paciência, persistência, força de vontade e determinação, com a fé nos seus sonhos tornam eles possíveis, você só precisa agarrar forte com a mão. IMG_3857Escalando E que no mundo inteiro há boas pessoas, você só precisa descobrir quem são e ficar próximo delas. IMG_20191220_174928784_BURST001.jpg E em resumo é assim que podemos ganhar qualquer guerra mundial. Derrubando as diferenças, celebrando a diversidade, fazendo novos amigos, respeitando as suas crenças e opiniões. Também é preciso ter fé, e força de vontade. E talvez uma reunião de parlamento igual a dos pinguins. Mas a força da amizade é a força que nos torna melhor do que qualquer um que haja individualmente. E que ter a paz com o seu vizinho pode ser o primeiro passo para conquistar a paz mundial. E é por isso que neste blog e na vida, os Argentinos, Colombianos, Venezuelanos, Chilenos, Uruguaios, Paraguaios e demais países da América do Sul são bem vindos. Se você gostou deste post, curta, compartilhe, comente (abaixo) e segue a gente no botão vermelho aí do lado,  basta um e-mail e você não vai mais perder nenhum post. 😎-> Fazendo isso você nos ajuda na divulgação e não te custará nada. Vamos alcançar o mundo?

AFRICA ASIA EUROPE NORTHAMERICA OCEANIA SOUTHAMERICA

História

Anúncios

Rômulo Lucena Visualizar tudo →

Compartilhar experiências de viagens, trazer um bocado de cultura e história para você poder fazer sua viagem mais tranquilo.
A gente faz a primeira viagem e você vem com a gente.

Deixe aqui seu comentário

Seguir

Olhe seu email e confirme

%d blogueiros gostam disto: