O que devemos esperar de Berlim, a capital da Alemanha? Essas dicas são para quem faz sua primeira viagem para lá.

História

Pintura de representação do socialismo

Se tem uma coisa que Berlim tem é lugar histórico para visitar. Muita coisa tem um valor histórico, desde o muro, que é mundialmente famoso, o Muro de Berlim; até as sinagogas, passando por estações de metrô, monumentos, parques, praças, portões e até mesmo o semáforo! Enfim, a cidade respira história, já que foi o epicentro de onde ocorriam os eventos da primeira e segunda guerras mundiais. Verdade seja dita, Berlim veio para mudar a história da humanidade em todo o planeta e é responsável por transformações sociais, culturais e econômicas, até chegar à civilização como a conhecemos hoje.

Então senta aí que temos dicas sobre o que visitar em sua primeira viagem a Berlim.

O que visitar?

Vou tentar ser breve e fazer uma lista top 10 do que visitar na cidade.

1- O Muro de Berlim

Acho que este é o principal item, que é mandatório para quem visita Berlim.

E por quê? Por todo o significado e história que ele traz consigo. O muro foi a representação máxima da divisão do mundo entre capitalismo e socialismo. A história dele mostra como a humanidade pode fazer coisas loucas, bizarras sem medir as consequências. E também o porquê da população precisar acompanhar de perto a ação dos governantes e não apenas acompanhar passivamente as ordens dadas.

A queda do muro de Berlim em 1989 mostra uma reconexão da cidade, da Alemanha, o reencontro de parentes e a superação de um período sombrio, vivido por todo o mundo. Ouso dizer que seria equivalente ao fim do Apartheid na África do Sul.

Dentre os escombros do Muro de Berlim nasci uma vida. Esperança para o futuro.

2- Checkpoint Charlie

Checkpoint Charlie

Era um posto militar que vigiava a fronteira entre Berlim Ocidental e Oriental, na época em que existia o muro e a cidade era dividida. Para a passagem de um lado a outro da CIDADE. E destaquei cidade porque não estamos falando de um controle de fronteira entre países, mas dentro da própria cidade de um mesmo país. Isso é muito bizarro. Imagine você acordar um dia e não poder mais visitar sua família, ou seus amigos, meramente porque eles estão do outro lado da cidade?

Pois bem, toda regra tem sua exceção e neste caso não era diferente. No checkpoint Charlie você poderia passar de um lado a outro de Berlim. Mas, você deveria ser um membros das Forças Aliadas ou diplomata estrangeiro. E obviamente cruzar escoltado.

Hoje em dia, é um dos locais com maior aglomeração de turistas. Todo mundo quer tirar uma foto da casinha e da famosa placa informando “You are leaving the American sector”! (Você está deixando o setor americano).

3- Alexanderplatz e a Torre de TV

É uma praça grande e super movimentada de Berlim. Nela se localiza uma das principais estações de metrô da cidade. Também passam diversas linhas, além de ser também um local com opções de compra.

A Torre de TV (Fernsehturm) que fica nesta praça é gigante, tem 368 metros e é a maior estrutura de Berlim. É uma torre de radiodifusão. Além disso tem um restaurante panorâmico com uma vista de 360 graus da cidade. Ele também é giratório, assim você pode ver a cidade sem nem se levantar da cadeira! (Uma volta inteira dura cerca de 30 minutos).

Torre de TV na Alexanderplatz

E porquê a torre é histórica?

A torre de TV deveria ser um prédio que se sobressai a tudo e representa o triunfo do socialismo sobre o capitalismo. A idéia é que a esfera da torre de TV lembrasse o satélite soviético Sputnik ( o primeiro satélite enviado com sucesso ao espaço) e deveria ter a cor vermelha, a cor do socialismo. Entretanto o arquiteto Bruno Flierl apontou que a cor metálica mostra mais semelhança com o satélite Sputnik, representando assim a superioridade tecnológica dos países socialistas.

A arquitetura foi de Hermann Henselmann e Jörg Streitparth, com contribuições de outros arquitetos como Fritz Dieter, Günter Franke, Werner Ahrendt  Walter Herzog e Heinz Aust.

4- Portão de Brandenburgo

Topo do portão de Brandemburgo

O monumental Portão de Brandenburgo era um dos portões que dava acesso a Berlim quando a cidade ainda era pequena e circundada por um muro, numa espécie de fortaleza. Hoje é provavelmente o cartão-postal mais famoso de Berlim. O Portão de Brandenburgo está localizado na Pariser Platz, no bairro central.

5- Parque da Cidade ou Tiergarten

Este seria o equivalente ao “Central Park” em Nova York ou ao “Parque da Cidade em Brasília”. Vale a visita para quem quer dar uma pausa e respirar um ar puro no meio de tantas construções históricas na cidade de Berlim.

6- Estação fantasma – “Ghost Station”

Poucas pessoas sabem mas existe uma estação fantasma de metrô em Berlim. Nela não se passam vagões de metrô, também não há embarque e desembarque de passageiros. E não, ela não é mal assombrada. (Ou pelo menos não que eu saiba). Mas, para não fugir a regra ela é histórica.

É uma estação de metrô preservada desde a segunda guerra mundial e desde a construção do muro de Berlim. Por meio do túnel do metrô as pessoas atravessavam da Berlim oriental para a ocidental. A ideia era simples.Já que não era possível passar por cima, pois havia um muro vigiado dividindo a cidade. Então a gente passa por baixo, aproveitando o túnel do metrô.

E o que aconteceu?

O Governo descobriu que o povo fazia esta travessia (o que violava a lei na época) e decidiu bloquear a passagem. O problema é que bloquearam as duas pontas de uma vez e não quiseram nem saber quem estivesse por lá por baixo. Preciso nem dizer que várias pessoas morreram ali na tentativa de chegar ao outro lado. Por isso ela é chamada de estação fantasma. Por conta das pessoas que ficaram soterradas ali. E foi preservada para ser guardada na triste história da divisão de Berlim, ela seria equivalente a um monumento subterrâneo. Apesar da restauração ela permanece com o desenho de 1960, é possível ver telefones e trens da época tal como estavam quando ela foi isolada. Por isso não passam trens de metrô por lá.

7- Bunker de Hitler ou Führerbunker

Outro local que vale a pena conhecer seria o Führerbunker.

Era o local onde Hitler reunia a cúpula de seu governo e planejava suas estratégias de guerra.

Este bunker ficava a 5 metros de profundidade do solo e tinha mais 4 metros de concreto que o recobria. A ideia é que fosse protegido de um ataque aéreo. (Estamos falando de um cenário da segunda guerra lembra?).

É onde foi encontrado o corpo de Hitler morto. Dizem que ele pediu aos seus soldados que o matassem, pois, ao ver que seu governo chegaria ao fim pela invasão e localização dele pelas forças aliadas sabia que seria morto. Então na mente doentia dele mais seria válido ser morto por um nazista do que morto pela mão do inimigo. Como ninguém teve essa coragem ele acabou se suicidando para não ter de se entregar às tropas invasoras.

Dada a importância histórica deste lugar e a carga que ele traz, a nova alemanha decidiu que melhor seria demolir o bunker e construir uma praça sobre ele. Esta foi uma forma de trazer uma nova significação e devolver o espaço para a sociedade. O Bunker também pode ser visto no filme “A Queda, as últimas horas de Hitler”

Local do bunker de Hitler

8- O Parlamento Alemão ou Reichstag

O palácio de Reichstag (não é hashtag ok ?! LOL 😂😂) merece a visita por ter sido onde começou toda a história do domínio e da loucura de Hitler. Houve um incêndio na cúpula, provavelmente causado por um agitador comunista, que foi preso na ocasião. Adolf Hitler, que era chanceler alemão na época, se aproveitou da situação e recomendou ao presidente (que prontamente aceitou) fazer o decreto de Reichstag. Este decreto retirava a maioria dos direitos humanos das pessoas. E início do discurso nazista. Foi a partir daí que se deram as demais loucuras, como a construção do Muro de Berlim. Não esqueça de visitar a cúpula dele.

Parlamento Alemão

9- Memorial do Holocausto

Este memorial, construído com 2.711 blocos de concreto de alturas diferentes e com um piso irregular busca trazer ao visitante a sensação de perturbação, medo e dificuldade de caminhar. Que foi o que aconteceu com os judeus durante o governo de Hitler. Há uma sala que traz mais informações sobre o monumento e os Judeus.

10- Observar os sinais de trânsito (Ampelmann)

Como eu disse no início deste post, tudo em Berlim é história! Até mesmo o semáforo carrega um pouco dela.

O Ampelmann, ou em alemão, Ampelmännchen, – é o símbolo mais cult que você verá em Berlim. Ele é o bonequinho diferente dos semáforos.

Porquê o Ampelmann é importante?

Loja do Ampelmann

Ele marca a Berlim oriental, este símbolo pode te dar uma ideia de onde você está na cidade. Na parte ocidental os semáforos foram trocados para o padrão mais comum.

Além disso ele foi desenvolvido por um psicólogo, desenhista, projetista tudo isso junto na figura de um só homem. Sua esposa acompanhou o desenvolvimento do símbolo e lhe deu muito apoio durante a criação do que hoje seria o maior símbolo da família.
Karl Peglau criou o Ampelmann para ser “fofo e funcional”. Os dois bonecos (do pare e avance para pedestres) foram desenhados para melhorar o campo visual das pessoas com baixa visão. O Chapéu além de marcar o estilo da época ainda serve para melhorar a percepção do movimento. De acordo com Karl Peglau: “quanto maior a área, maior a iluminação, melhor a visibilidade”.

Além disso, quanto mais “fofinho” fosse o boneco, melhor apelo psicológico teria para as pessoas olharem o semáforo.

Nenhum outro símbolo de semáforo no mundo foi tão cuidadosamente desenvolvido sob aspectos técnicos e psicológicos como o East Ampelmännchen. A vida de seu criador está ligada a de Berlim.

Aqui terminamos nossas dicas de viagem para Berlim. E você tem uma dica a mais? Algum outro lugar que deveria estar nesta lista?

Deixe aí nos comentários. E se gostou, não esquece de curtir e compartilhar.

Até a próxima 😎 !

AFRICA ASIA EUROPE NORTHAMERICA OCEANIA SOUTHAMERICA
Anúncios