Bom, antes de falar de Riga em si, por quê fui parar lá?

Na vontade de conhecer todos os países do mundo, ou pelo menos a maioria deles, a Letônia ficava no meio do caminho, e no meio do caminho ficava a Letônia. Entre a Estônia e a Lituânia.😎

Para minha surpresa a passagem de ônibus custava absurdamente mais barato que o vôo, partindo de Talin, na época custou apenas USD 7,00! E a saída de Riga para a Vilnius mais USD 9,00. Ou seja, Riga se mostrava uma opção viável (por estar no meio do caminho) e econômica, pelo custo financeiro total. Assim, de Tallin para Vilnius (no total de USD 16,00). Isso em um ônibus com tela de entretenimento, café, chocolate quente, chá e água a vontade! (melhor que algumas companhias aéreas low cost).

Confesso que meu plano era apenas descansar um pouco, afinal, turismo é uma atividade que demanda muita energia de quem o faz. Eu pretendia fazer apenas um city tour e pronto.

Mas após a hospedagem e uma voltinha pela cidade, ela já me encantou. A vista do hotel era para a ponte Vansu (Vanšu) que passa pelo rio Daugava.

IMG_2397.jpg

Monumento aos Lutadores

e na orla havia o Monumento aos lutadores que trata da memória dos feridos e também dos afogados no rio Daugava em 13 de janeiro de 1905. Próximo a ponte da linha férrea. Nome em Letão: Piemineklis 1905.

IMG_2455.jpg

Parece pequeno na foto, mas só a base de concreto é mais alta que uma pessoa. ao fundo da foto acima vemos a ponte da linha férrea.

Dica de locomoção:

Aliás a primeira dica para se locomover em Riga é marcar os monumentos e os telhados. Já que boa parte do turismo pode ser feita a pé e estes lugares podem ser usados como pontos de referência. É importante ressaltar que as ruas de Riga não são paralelas, fazendo todo um desenho próprio.

Por isso a necessidade dos monumentos como marcação. Além disso, cada telhado apresenta uma obra e uma curiosidade! E eu não estou brincando, Riga tem a arquitetura mais harmônica e diferente que já conheci até hoje! Então você pode marcar os “pontos por onde passou” pelo telhado. Um exemplo: telhado do galo, telhado do gato, telhado da cruz, telhado do barco, dos sinos, da cruz dupla, tripla, e por aí vai.

Também é possível marcar pelas cores  e formas das construções.

 

Como segunda dica eu sugiro que compre o ticket do ônibus turístico Hop-on Hop-off. O motivo? Você pode usá-lo como ônibus local para se deslocar durante a validade do passe. Você pode comprar o 24 horas, ou 48 horas e subir e descer do ônibus quantas vezes quiser. Mas tem que ter atenção sobre qual o percurso ele vai fazer. Este ônibus possui dois trajetos integrados em algumas paradas. Um percurso azul e um verde. Também é necessário prestar atenção nos horários. no panfleto que é entregue tem os horários em que ele passa e até que horas ele roda. Sobre os horários. Pelo que me recordo o ônibus faz sua última ronda próximo das 17:00 horas. Mas isso pode ter mudado. É uma pena, pois a noite em Riga é maravilhosa. Mas se você souber ou quiser usar as linhas de ônibus local sairá ainda mais em conta o seu passeio, pois o ônibus do city tour é várias vezes mais caro que o ônibus local.

Claro que com o ônibus turístico fica mais fácil de identificar, e de saber o trajeto. Além dos áudios que falam um bocado sobre os pontos turísticos. Ele disponibiliza um áudio em até 10 idiomas. Mas não tem em português. Usei o áudio em inglês.

Por onde começar?

Pelo centro da cidade antiga (Old Town) onde está a praça municipal.

perto do monumento dos fuzileiros (Latvian Riflemen Monument) que são 3 homens no melhor estilo russo de monumento. De lá saem tanto os ônibus turísticos (percurso verde ou azul), quanto tem um serviço ao turista na praça, e ainda alguns tours a pé. Então definitivamente este é o melhor lugar para você começar.

IMG_2435.jpgA própria praça já inclui muita coisa para se visitar. Ela é quase um ponto obrigatório para quem deseja visitar a cidade a turismo.

Na praça tem a casa dos cabeças pretas (Blackheads house) local mais icônico de Riga. fica próxima a esse monumento. Este lugar é tão icônico que merece um post só para ele. Pretendo fazer em breve.

IMG_2458.jpg

Também estão perto desta praça a torre de pólvora que era uma fortificação do século 13 e permanece até hoje. Mas virou museu.

IMG_2654.jpg

A catedral de São Pedro, a mais antiga da cidade. data do século 13. E vem sendo reformada para se manter de pé. (telhado do galo).

IMG_2498.jpg

E já que estamos na época do natal, temos também a réplica da primeira árvore de natal do mundo! Sim, é o que dizem os Letões. Ela fica na Letônia em Riga, na praça central e data de 1510.

Diz a lenda que alguns homens foram buscar madeira na floresta para fazer uma grande fogueira para se aquecer, e enquanto foram buscar mais lenha o maior pedaço de pinheiro foi colocado de lado para ser usado depois. Mas as crianças que estavam por ali começaram a enfeitar aquele pinheiro enquanto os homens estavam buscando mais lenha.

Quando retornaram viram aquele pinheiro todo enfeitado pelas crianças. E cansados se deitaram perto dele. Assim viram as estrelas brilhando no céu entre os galhos do pinheiro. Então, eles desistiram de usá-lo como lenha de fogueira. E assim todo ano nesta época traziam um pinheiro para enfeitá-lo nesta época.

E desde então foi criado esse costume de enfeitar árvore de natal. Isso foi passado de geração a geração até chegar nos dias atuais.

Daí também se pode deduzir de onde vieram as luzinhas pisca-pisca de natal. E por quê de ele conter alguma representação da neve. Legal essa história né?!

E pensar que a primeira árvore de natal quase virou lenha…

IMG_2469.jpg

 

E fora da rota da praça?

Você pode ver também o prédio do Kremlin de Riga, já que este país fazia parte da União Soviética e representava uma das frentes de defesa no mar báltico. A propósito Kremlin significa fortaleza, ou fortificação. Sendo o mais conhecido o de Moscou. (e você pode conferir dicas de Moscou neste link)

IMG_2483.jpg

Torre de Rádio e TV.

Também se pode visitar a torre de rádio e televisão.  Mas não se engane ela fica mais longe do que parece ser. Ela pode ser usada como orientação, já que é vista de quase todos os lugares.

 

Monumento da liberdade (Brīvības Piemineklis)

Bom, dentre todos os monumentos este é o mais importante. O monumento da liberdade conta a história de Riga de uma forma bem resumida. E enquanto a União Soviética tinha a Letônia anexada tentaram demolir o monumento várias vezes, isso porque acreditavam que ele inspirava um patriotismo nos Letões. Bom, hoje a Letônia é um país independente, então podemos dizer que estavam certos. Ainda bem que não conseguiram demolir.

Ele é um monumento em que cada face do polígono conta um pedaço da história de Riga até a sua libertação e constituição como país independente.

Na base vemos alguns cavaleiros templários, o povo trabalhador, escritores, o exército na primeira e segunda guerras mundiais, a invasão sueca, a derrota para a Alemanha, a anexação russa, o movimento para a libertação e depois enfim a independência. A Letônia tem um povo muito marcado por guerras, em que a influência pelos dominadores se misturou de uma forma interessante, assim como a manutenção de muitos costumes originais (tipo a Árvore de Natal). A estátua de cobre e bronze no topo representa a liberdade e carrega três estrelas nas mãos cada uma simbolizando os três distritos da Letônia (VidzemeLatgale e Courland). Cada face do polígono tem uma imagem diferente. Atualmente o monumento serve como local para reuniões públicas. E é um ótimo ponto de encontro, pois com seus 42 metros de altura pode ser visto dos lugares ao redor. Aliás Há um parque muito bonito o Bastejkalna park. Que é bem harmonizado e ótimo para ver o por do sol.

 

A arquitetura de Riga

Digamos que a cidade só mistura arquiteturas do século XIII até os dias de hoje. Cada edifício tem o seu próprio modelo, fachada e estilo.

Com certeza apreciar a arquitetura da capital da Art Nouveau é algo muito interessante de se fazer. Pelo que entendi este estilo busca justamente fugir de padrões históricos óbvios, mas abrangendo outros aspectos. Ele busca ser uma forma “honesta” dos significados e do lugar em si, trazendo outros componentes. E cada arquiteto tende a fazer o seu próprio estilo. Então há uma avenida na Cidade Nova (New Town) que é uma verdadeira competição de fachadas diferentes e extravagantes. Isso foi impulsionado pelo Instituto Politécnico de Riga, que hoje se tornou universidade. E toda uma geração de arquitetos exportava seu estilo e percepção de ambiente para fora das fronteiras do país. Riga, acabou se tornando a cidade com a maior concentração de arquitetura Art Nouveau em qualquer lugar do mundo, com um terço de seu território reconstruído neste estilo. Então podemos dizer que Riga transcende a  velha e nova geração arquitetônica. talvez isso explique o porquê das ruas não serem paralelas. E o porquê de apesar de diferentes as fachadas, praças, restaurantes, jardins são bem harmônicos entre si. É um espetáculo!

Rio Daugava

E também não poderia faltar o próprio rio Daugava, que é o principal rio de Riga e palco de tantas batalhas. Aliás, pelo áudio do ônibus ouvi falar que lá no fundo do rio estaria o tesouro de um dos cavaleiros templários que afundou junto com alguns de seus navios a mando do rei da França. Quem seria o dono deste tesouro? Um cavaleiro templário, dono da casa dos cabeças negras. Mas isso é algo que vai ficar para um próximo post. pois retornamos ao nosso ponto de partida nesta primeira viagem pela Letônia!

Se você gostou, deixa aquele like e segue a gente para não perder o próximo post e a continuação desta história. É só clicar no botão vermelho e por o e-mail. 😎👉

AFRICA ASIA EUROPE NORTHAMERICA OCEANIA SOUTHAMERICA
Anúncios